SINOP, MT 05 de agosto de 2020

Sefaz propõe equipe itinerante de recuperandos nos postos fiscais

Sefaz propõe equipe itinerante de recuperandos nos postos fiscais
21/09 2015 14:26 Fonte: NADJA VASQUES Assessoria/ Sefaz-MT Imprimir

A Secretaria de Fazenda de Mato Grosso (Sefaz/MT) estuda ampliar o termo de compromisso firmado com a Secretaria de Justiça e Diretos Humanos (Sejudh) e a Fundação Nova Chance para que os cinco reeducandos do regime fechado que trabalham na sede da Sefaz possam prestar serviço itinerante nos postos fiscais. A ideia surgiu após um mutirão realizado pelos reeducandos no Posto Fiscal Flávio Gomes, no km 10 da BR-64. Em apenas três dias, eles resolveram problemas de manutenção e limpeza que perduravam por mais de quatro anos. 

De terça-feira (15.09) a quinta-feira (17.09), os reeducandos fizeram pequenas reformas e pintura dos apartamentos (quarto e banheiro) onde ficam os servidores fazendários durante os plantões, podaram árvores, carpiram o terreno, limparam o pátio, pintaram o meio-fio e fizeram o aceiro da área de mata do fundo do posto, que pertence a uma fazenda. O trabalho começava cedo, às 6h40, e terminava às 15h, quando eles retornavam para a sede da Sefaz para seguirem de volta ao Centro de Ressocialização do Carumbé (CRC). 

A ação do posto fiscal agradou os servidores fazendários, como Étore Zóccoli Sobrinho, da Coordenadoria de Patrimônio e Serviços. Ele contou que os reeducandos sabem fazer um pouco de tudo e nesses três dias que passaram no Flávio Gomes consertaram torneiras, limparam aparelhos de ar-condicionado, fizeram serviços elétricos, ou seja, tudo rápido e bem feito. Para Étore, o serviço melhorou as condições de trabalho e a qualidade de vida dos servidores fazendários, e isso reflete na melhor qualidade do atendimento ao contribuinte. 

Edson Botelho, supervisor de equipe, também aprovou o serviço. Ele e um novo grupo de servidores fazendários chegaram para o plantão de cinco dias consecutivos no posto na quarta-feira, um dia depois do início dos trabalhos, e já perceberam a diferença. Botelho enfatizou que a burocracia faz com que o conserto ou troca de um equipamento demore semanas, mas que dessa vez, com os reeducandos, todos os reparos foram feitos em três dias. 

O secretário adjunto de Administração Fazendária, Fernando Fernandez, enfatizou o pioneirismo da Sefaz ao contratar reeducandos para a realização de serviços gerais, há três meses. Além da economia prevista de R$ 300 mil/ano, Fernandes destacou que o trabalho dá a esses homens a oportunidade de retornar ao convívio social e ainda obter uma renda mensal. Para que a ideia de uma equipe itinerante se concretize, o secretário adjunto disse que é preciso o envolvimento de todos os parceiros, e principalmente do Poder Judiciário. 

Os próprios reeducandos estão satisfeitos com a parceria. Joílson Arruda Fagundes, 27 anos, contou que já havia realizado trabalho extramuros, mas que pela primeira vez esse serviço é remunerado. Cada recuperando recebe um salário mínimo/mês. Desse total, uma parte fica com ele, para pequenas despesas; outra vai para uma poupança, para quando ele deixar a unidade; e a terceira é destinada à família. 

Joílson Fagundes está aproveitando a experiência e garante que tem muitos planos. Um deles é montar um salão de beleza assim que deixar a unidade prisional, no final do ano que vem. Ele disse que a convivência com os servidores fazendários é ótima, que enquanto trabalha não sente o tempo passar e que é muito grato pela chance. Joílson destacou ainda o apoio do diretor do CRC, Winkler de Freitas Teles, e do sub-diretor Alexandre Cândido, em toda a iniciativa que busca a ressocialização dos detentos.