SINOP, MT 16 de dezembro de 2018

Saúde e Meio Ambiente anunciam ação contra o Aedes aegypti

VISTORIAS EM EMPRESAS: Saúde e Meio Ambiente anunciam ação contra o Aedes aegypti

Saúde e Meio Ambiente anunciam ação contra o Aedes aegypti
04/12 2018 18:20 Fonte: Fonte: Assessoria da Prefeitura Imprimir

Uma ação coordenada entre agentes do Centro de Endemias e de fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SDS) irá percorrer, a partir deste mês de dezembro, 155 pontos do município classificados como de risco elevado para a incidência e proliferação do mosquito Aedes aegypti. Estes locais a serem visitados compreendem as empresas dos setores de oficina mecânica, ferro-velho e borracharia que, em função dos materiais que armazenam, colocam-nos no grupo de observação.  

O objetivo da missão é ampliar o monitoramento da presença do Aedes, implementando práticas de prevenção e combate. Embora o número de casos confirmados de dengue estejam menores em 2018 (380 registros até o momento), na comparação com 2017 (410 em todo o ano), a preocupação do poder público municipal é a alta registrada no índice que mede a incidência do mosquito - o Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti – LIRAa) em Sinop. Atualmente, para cada 100 imóveis existentes no município, há a presença do mosquito em 6,5 pontos. No mesmo período do ano passado o índice era de 3,6.

"Sempre no período chuvoso, a tendência é aumentar bastante. Não estamos tendo muitos casos de dengue, mas o risco está maior. Por isso, vamos intensificar as ações a partir de agora, visitando os locais com maiores possibilidades de criadouros como ferros-velhos, borracharias, oficinas", destaca Cesário Alves Rocha, coordenador do Centro de Endemias, em uma referência à ação coordenada junto ao setor empresarial.

Em casos extremos, os estabelecimentos podem ser multados em mais de R$ 2 mil em decorrência da existência e não eliminação dos focos. "O objetivo não é multar, mas sim orientar a população que se conscientize. O mosquito não tem fronteira", enfatiza Cesário.

Conforme explica a secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Luciane Bertinatto, no grupo de empresas a serem visitadas estão aquelas, também, sujeitas ao licenciamento ambiental. "A nossa fiscalização será mais acirrada em relação aos empreendimentos que são passíveis de licenciamento ambiental, ou que, mesmo não passíveis, têm que dar uma destinação correta aos seus resíduos, como as borracharias", enfatiza a gestora.

Puxão de orelha

Dados do Centro de Endemias revelam que, em Sinop, 90% dos pontos com foco de criadouros do mosquito da dengue situam-se em quintais de residências. A maioria das larvas é encontrada em objetos simples e que, quando despercebidos, tornam-se propícios à vida do inseto: copos de plásticos, restos de plásticos, lixos que, diariamente, seriam descartados. "A população deu uma relaxada e o risco aumentou", adverte Cezário ao falar sobre os dados do Liraa.

Em fevereiro e abril deste ano, as Secretarias de Saúde e Obras implementaram mutirões para retirada de lixo e entulhos que acumulam água em diferentes bairros. Em três meses foram recolhidas 174 caçambas de materiais.

O mosquito e as doenças

O Aedes aegypti, além da dengue, também é transmissor da Zika vírus, da febre amarela urbana e Chikungunya. Na lista de recipientes onde põe seus ovos estão latas, garrafas vazias, pneus, calhas, caixas d’água descobertas, entre muitos outros que registrem o acúmulo de água.

A recomendação ao cidadão é que, em se apresentando algum sintoma suspeito para alguma das doenças, procure uma das Unidades Básicas de Saúde para atendimento e avaliação médica. Segundo o secretário municipal de Saúde, Gerson Danzer, em breve o município deve receber do Ministério da Saúde kits para exames rápidos da dengue, facilitando o diagnóstico da doença.