SINOP, MT 20 de setembro de 2020

2,6 mil empresários receberam Bolsa Família na Grande Cuiabá, diz MPF

Beneficiários deste grupo teriam recebido mais de R$ 9 milhões em 3 anos. Levantamento do Ministério Público Federal foi realizado em todo o país.

2,6 mil empresários receberam Bolsa Família na Grande Cuiabá, diz MPF
14/11 2016 15:30 Fonte: Do G1 Imprimir

Um levantamento feito pelo Ministério Público Federal em todo o país aponta que mais de 2,6 mil empresários residentes em Cuiabá e Várzea Grande, região metropolitana da capital, teriam recebido mais de R$ 9 milhões do programa 'Bolsa Família', do governo federal, de 2013 a maio deste ano. Em Mato Grosso, foram encontrados mais de 13,1 mil perfis suspeitos entre os 306.735 beneficiários do programa federal.

Ao todo, o estado recebeu R$ 1,054 bilhão do governo federal, que foram repassados aos beneficiários em todo o estado. No entanto, desse total, 4,26%, que corresponde a R$ 44.953.941,00, foram pagos a perfis considerados suspeitos, por não se encaixarem nos critérios do 'Bolsa Família'.

Segundo a Procuradoria Geral da República em Mato Grosso, aquelas pessoas que restarem comprovado terem recebido o auxílio indevidamente deverão ter o benefício cortado e serão excluídas do programa. Eles também podem responder a processos civis, criminais e administrativo (em caso de servidores públicos). Se, durante o processo, houver confirmação das irregularidades, o MPF deve pedir o ressarcimento ao erário dos valores indevidamente recebidos.

Entre os 141 municípios do estado, Cuiabá aparece na 19ª posição, concentrando 5,76% dos perfis sob suspeita que, ao todo, receberam R$ 6,5 milhões do governo federal. Destes, o maior grupo de beneficiários suspeitos são empresários ou beneficiários que tenham, em sua família, alguém que se encaixa nesse perfil. São 1.629 pessoas listadas nessa categoria, que teriam recebido pouco mais de R$ 5,1 milhões.

Na capital ainda foram encontrados, entre os beneficiários sob investigação, 532 servidores públicos municipais, estaduais ou federais, que teriam recebido quase R$ 1,3 milhão; 31 favorecidos pelo programa que doaram mais do que ganham de benefício para campanhas eleitorais, que receberam R$ 32,4 mil; 20 pessoas já falecidos que receberam R$ 63,9 mil; e nove servidores públicos que constam como doadores de campanham eleitorais, que receberam, juntos, R$ 28,9 mil.

Já Várzea Grande aparece na 28ª posição no ranking estadual, tendo sob suspeita R$ 5,3 milhões dos repasses referentes ao 'Bolsa Família', valor que teria sido distribuído a perfis sob investigação. Naquele município, o MPF encontrou 1.064 empresários como beneficiários, que receberam quase R$ 4,1 milhões.

O restante do recurso foi pago indevidamente, segundo o MPF, a 372 servidores públicos, que receberam R$ 1,17 milhão; 21 beneficiários doadores de campanha eleitoral, que embolsaram R$ 13,9 mil; sete pessoas já falecidas, que receberam R$ 18,2 mil; e quatro servidores que doaram para campanhas eleitorais, que receberam R$ 19,7 mil pelo programa federal.

Diante do resultado, o MPF expediu recomendações às prefeituras para que realizem visitas domiciliares aos beneficiários suspeitos, a fim de checar se as suspeitas do órgão serão confirmadas.