SINOP, MT 16 de agosto de 2017

Atletas paralímpicos mostram que todo ‘mundo é igual’ no JUBs

Jogos promovem pela primeira vez a integração entre atletas com deficiência e sem deficiência

 Atletas paralímpicos mostram que todo ‘mundo é igual’ no JUBs
07/11 2016 14:18 Fonte: Marcio Camilo | Seduc/Sael-MT Imprimir

Além de receber pela primeira vez os Jogos Universitários Brasileiros (JUBs), Cuiabá também é a primeira cidade, na história do JUBs, a reunir atletas e paratletas num mesmo espaço de competição.

Foi o que aconteceu durante todo o dia desta sexta-feira (04), na piscina olímpica do Complexo Arena Pantanal, quando nadadores não deficientes e com deficiência participaram de provas.

Os nadadores paralímpicos da Universidade Federal do Paraná, Vinícios Berbardi (21) e Jéssica Louise (22), acharam sensacional a ideia de colocar todo mundo junto, já que os eventos de paradesporto normalmente ocorrem em separado das competições não paralímpicas. “Não sei porque essa ideia de separar, tem que unir mesmo. Eles precisam saber que nós, deficientes, também somos capazes”, destacou Louise, que cursa Educação Física.

Ela, que tem paralisia cerebral, começou a nadar há oito anos para melhorar as condições motoras. Desde então Louise participa de diversos campeonatos em seu Estado e também pelo país. “Eu estou adorando essa integração com os atletas não paralímpicos, principalmente para mostrar que o paradesporto existe e que infelizmente ainda é pouco divulgado”, disse.

Para Bernardi, que é acadêmico de Direito, tudo é novidade, pois é a primeira vez que ele sai do Paraná para participar de um jogos univeristários brasileiros. 

O garoto já fez amizades com universitários de diferentes Estados, que passaram a torcer por ele durante a competição. “ Essa integração é maravilhosa e já fiz várias amizades por causa disso. Eles têm muita curiosidade em relação a natação paralímpica. Costumam perguntar sobre as regras e principalmente como funciona a classificação funcional que separa os atletas por deficiência”. Ele possui deficiência congênita (má formação no osso do fêmur).

Bernardi começou a nadar ainda muito cedo, aos cinco anos de idade. E na medida em que foi crescendo criou a consciência de que é capaz de fazer muitas coisas. “Foi o esporte que me disse que é possível ultrapassar as barreiras. Foi o esporte que me disse que eu sou capaz. Na verdade, quando estou nadando esqueço que possuo uma deficiência, ela fica em segundo plano. Costumo dizer que na piscina todo mundo é igual”, ressaltou.

As competições na natação e natação paralímpica continuam durante todo o dia deste sábado (05), sempre na piscina olímpica do Complexo Aecim Tocantins.

JUBs

Os JUBs, que começou nesta quarta-feira (04) prossegue até o próximo dia 13 com mais de 4 mil estudantes que disputam 17 modalidades esportivas. Nessa semana ocorrem as disputas das modalidades individuais. Já na próxima semana, a partir do dia 8, começam os jogos coletivos de quadra (basquete, vôlei, futsal e handebol).

Os JUBs são uma realização da Confederação Brasileira do Deporto Universitário (CBDU), Governo de Mato Grosso, Federação Mato-grossense de Esportes Universitários (FMEU), com a apoio da prefeitura de Cuiabá e Assembleia Legislativa de Mato Grosso.