SINOP, MT 30 de outubro de 2020

Candidatos apostam nos apoios de Taques e dos senadores para vencer

Candidatos apostam nos apoios de Taques e dos senadores para vencer
08/08 2016 15:06 Fonte: Julia Munhoz/RD News Imprimir

A disputa eleitoral em Sinop deve ser aquecida não apenas pelo fato de que os três candidatos eram aliados e seguem separados para o embate, mas pela "força" das principais lideranças políticas de Mato Grosso que validam os nomes para e se colocam na condição como cabos eleitorais. Dentre elas, o ministro da Agricultura Blairo Maggi (PP), o governador Pedro Taques (PSDB) e o senador Wellington Fagundes (PR).

Candidata pela coligação Amor Por Sinop, a atual vice-prefeita Rosana Martinelli (PR) conta não apenas com o aval do prefeito Juarez Costa (PMDB) como também dos dois senadores pelo PR, Wellington Fagundes e Cidinho dos Santos.

“Para prosseguir o desenvolvimento e o progresso de Sinop, sem dúvida nenhuma, é com a Rosana, que tem experiência, trabalho comprovado, é companheira, leal, e tem a sensibilidade para dar continuidade as obras e ao grande trabalho do Juarez Costa (PMDB), que sem dúvida, foi o melhor prefeito da história de Sinop”, afirmou Wellington .

Rosana  tem também o apoio de toda a cúpula do PMDB em Mato Grosso, já que o vice na chapa é o apresentador Gilson de Oliveira (PMDB). Na convenção que homologou a candidatura da republicana participaram os deputados federais Carlos Bezerra e Valtenir Pereira, e os deputados estaduais Silvano Amaral, Janaina Riva e Romoaldo Júnior, além do suplente de senador, Jorge Yanai.

Pelo grupo de oposição, a candidatura do empresário Roberto Dorner (PSD) com o vereador Fernando Assunção (PSDB) vice, tem no palanque o peso do Governo do Estado. A dupla conta com o aval do governador Pedro Taques (PSDB), do vice-governador Carlos Fávaro (PSD) e do deputado federal Nilson Leitão (PSDB).

“Roberto Dorner e Fernando Assunção é o casamento perfeito em Sinop. Eu como governador e militante do PSDB, depois das convenções vamos pedir voto para o 55. Pedro Taques depois da convenção é Roberto Dorner”, garantiu o governador.

Para Carlos Fávaro, presidente do PSD em Mato Grosso, o desprendimento do PSDB em recuar e compor na condição de vice na chapa reforça a importância da aliança. “A união minha e do governador Pedro Taques é total, independente da sigla partidária e isso é para mostrar a importância de Sinop para o Mato Grosso”, explicou.

Considerado terceira via, a coligação Frente Alternativa confirmou o nome do vereador Dalton Martini (PP) na cabeça de chapa e o empresário Joselito Backes (PDT) na condição de vice. O progressista foi lançado para o embate com o apoio irrestrito do senador afastado e ministro da Agricultura Blairo Maggi (PP).

Blairo esteve em Sinop em junho deste ano e garantiu participação no processo eleitoral no município. “Política é questão de grupo e tradição de estar junto, pretendo participar da política aqui como sempre participei, trazer meu apoio pessoal ao candidato”, declarou, durante visita à 32ª Exponop.

Além disso, durante todo o processo de articulação pré-convenções Martini recebeu ‘carta branca’ do presidente do PP em Mato Grosso, deputado federal Ezequiel Fonseca.

Arco de alianças

Nas composições partidárias, Rosana Martinelli conta com dez partidos (PMDB, PR, PTB, PMN, PV, PMB, PTC, Pros, PC do B e PTN), Roberto Dorner segue com sete (PSDB, DEM, PSD, PSB, PSDC, PPS e PEN) e Dalton Martini também com dez (PP, PDT, PRTB, PTdoB, PSL, SD, PRB, PHS, PSC e REDE-Sustentabilidade).