SINOP, MT 05 de agosto de 2020

Pedro Taques dá nota 6,6 para o primeiro ano de seu Governo

"Sempre fica a vontade de fazer mais, sou muito exigente. Esse é meu perfil, não vou mudar", disse governador

Pedro Taques dá nota 6,6 para o primeiro ano de seu Governo
22/12 2015 12:22 Fonte: Midia News Imprimir

O governador Pedro Taques (PSDB) atribui nota 6,6 para o seu primeiro ano de mandato.

 

“Um secretário, hoje, me perguntou que nota eu daria para meu primeiro ano de Governo. Antes de eu responder, ele disse 8. Aí, eu falei: não. Está mais para 6,4 ou 6,6. Sou muito exigente”, afirmou.

 

Taques destacou alguns pontos que ele considera serem avanços de sua gestão, mas disse que ainda há muita coisa a ser feita em Mato Grosso.

 

“A questão da Saúde, por exemplo... Há um passivo muito grande para resolver. Por isso, acho que dá para fazer uma melhor performance mais na Saúde. Já começamos a fazer isso. A Farmácia de Alto Custo é um exemplo. Há mais de seis anos, o estoque não chegava a 85% dos medicamentos e hoje alcançamos essa meta. Isso é muito significativo”, disse.

Ainda segundo Taques, o Governo, por meio de ferramentas como o Facebook, consegue perceber que a população sente tais mudanças.

 

“Nos canais que o Governo possui, as reclamações não acabaram, mas a gente percebe a mudança. Sinto isso no Facebook. Ainda assim, tem muita coisa a fazer; é preciso reconhecer que há muito o que fazer”, afirmou.

 

Apesar de reconhecer que algumas coisas planejadas não foram possíveis de ser concretizadas, o governador disse que não tem qualquer sentimento de frustração.

 

“Eu poderia ter performado mais, ter uma participação mais política, dar mais atenção a uma secretaria em detrimento de outra. Tenho que fazer essa ponderação, mas não tenho nenhum frustração”, disse.

 

“Estou muito contente. Levando em conta as condições adversas, performamos, todos os secretários performaram. Estou muito contente com a equipe. Agora, sempre fica a vontade de fazer mais, sou muito exigente. Esse é meu perfil, não vou mudar”, concluiu o governador.